São Paulo 5 x 1 Monte azul, e Fernandinho….ahhhhh Fernandinho….

March 1, 2010

Fernandinho fez o São Paulo repensar a forma de jogar daqui em diante. Foram quatro gols marcados contra o Monte Azul, na goleada por 5 a 1, em Barueri. Para a sequência da Libertadores, o time do Morumbi já estuda maneiras de encaixar Fernandinho no ataque, mas considera remota a possibilidade de três atacantes.

Washington, Dagoberto, Marcelinho Paraíba e agora Fernandinho disputam duas vagas para o setor ofensivo. Na avaliação do técnico interino Milton Cruz, para que uma formação com três atacantes dê certo, é preciso que o trio faça também a cobertura defensiva. Cruz entende que Washington, Dagoberto e Fernandinho não primam pela marcação de adversários.

“Para se jogar com três na frente, tem que ter característica defensiva. O Grafite, por exemplo, faz muito bem. O Dagoberto é mais de velocidade, mais jogador de frente. O Fernandinho também. O Marcelinho ajuda mais. Mas dá para fazer sim [esquema com três atacantes], mas acho difícil”, comentou Milton Cruz.

Na derrota contra o Once Caldas, em Manizales, Washington e Marcelinho formaram a dupla ofensiva. Na goleada sobre o Monte Azul, o São Paulo adotou tática semelhante à de jogos anteriores. Henrique atuou centralizado no ataque, apoiado por Dagoberto. Washington sequer foi relacionado, conforme planejamento da comissão técnica de preservar os atletas mais desgastados após viagem à Colômbia.

Apesar dos planos para a Libertadores, o time do Morumbi alerta para a partida contra o Oeste, quarta-feira, no interior, que pode servir como experimentos no ataque, destaca Milton Cruz.

“Ainda precisamos consultar o departamento médico para montar o time de quarta-feira, mas temos várias opções para o ataque”.


Segunda derrota brasileira na Libertadores: Once Caldas 2 x 1 São Paulo

February 26, 2010

Não adiantou o gol histórico de Rogério Ceni. O São Paulo foi dominado pelo Onde Caldas e acabou derrotado na Copa Libertadores.

O clube do Morumbi, que viajou ao país vizinho sem Ricardo Gomes, por conta de um problema de saúde, soma três pontos e é o segundo colocado, à frente do Monterrey no saldo de gols. É a segunda derrota para o Once Caldas no estádio Palogrande – em 2004, os colombianos eliminaram o time tricolor nas semifinais.

Rogério Ceni ao marcar o gol São Paulino se isolou como o maior artilheiro do São Paulo na história da Libertadores. O goleiro balançou a rede pela 11ª vez no torneio continental e superou Pedro Rocha, Muller e Palhinha, que anotaram 10 gols no século passado.

Apesar de atuar fora de casa, os brasileiros tomaram a iniciativa de sair para o ataque nos minutos iniciais. Entretanto, pecavam nos passes e na finalização. Na defesa, Miranda, Xandão & Cia neutralizavam bem os atacantes rivais.

Aos 32min, Jean sofreu falta a alguns metros da meia-lua. Rogério Ceni partiu para a cobrança e criou-se a expectativa para ele virar o recordista de gols com a camisa tricolor. Ele não pegou tão bem na bola, mas houve um desvio na barreira, e o goleiro Martinez ficou sem reação.

Atrás no placar, o atual campeão colombiano passou a atacar mais. Já nos acréscimos, desperdiçou sua melhor oportunidade, quando Rogério Ceni espalmou um chute de Moreno.

O cenário mudou no segundo tempo. O São Paulo voltou mal do intervalo e passou a sofrer uma pressão do Once Caldas. Aos 4min, Marcelinho Paraíba vacilou no campo de defesa e perdeu a bola. Vélez cruzou na área e Uribe empatou de cabeça.

Dois minutos depois, o mesmo Uribe quase virou o placar ao acertar o travessão. O primeiro bom avanço são-paulino ocorreu somente aos 15min, quando Hernanes chegou à linha de fundo e cruzou na área. Washington deu um leve toque, mas a bola desviou e sai para escanteio.

O Once Caldas continuou melhor, até que aos 26min Moreno fez bela jogada individual, passou por Jean e Miranda, invadiu a área e bateu cruzado no canto: 2 a 1.

O time do técnico interino Milton Cruz buscou o empate, entretanto não conseguiu superar Martínez e retorna ao Brasil com o primeiro revés na edição de 2010 da Libertadores.

ONCE CALDAS 2 X 1 SÃO PAULO

Once Caldas
Luis Martínez; Iván Vélez, Oswaldo Vizcarrondo, Alexis Enríquez e Luis Núñez; John Valencia, Diego Arias e Jaime Castrillón (Cárdenas); Dayro Moreno, Fernando Uribe (Amaya) e Dany Santoya (Baena)
Técnico: Juan Carlos Osório

São Paulo
Rogério Ceni, Cicinho, Xandão, Miranda e Jorge Wagner; Jean, Richarlyson, Hernanes e Cleber Santana; Marcelinho Paraíba (Rodrigo Souto) e Washington
Técnico: Milton Cruz

Data: 25/02/2010, quinta-feira
Local: estádio Palogrande, em Manizales (Colômbia)
Árbitro: Pablo Pozo (CHI)
Auxiliares: Patrício Basualto e Julio Diaz (CHI)
Gols: Rogério Ceni (SP), aos 33min do primeiro tempo; Uribe (OC), aos 4min, Moreno, aos do segundo tempo
Cartões amarelos: Enríquez, Moreno (OC)


1 Clássico, 2 times, 3 Situações….

February 23, 2010

1 Clássico
No domingo vimos o clássico Palmeiras x São Paulo. Clássico antigo, repleto de rivalidade, e com muitas expectativas pelo momentos que as duas equipes viviam

2 Times
De um lado o São Paulo, que tem estado bastante oscilante neste Paulistão, e que buscava no clássico, uma chance de mostrar que esta forte na competição. Do outro lado o Palmeiras, com técnico novo, repleto de desconfiança e com os torcedores em dúvida doque poderia acontecer.

3 Situações
1) O jogo prometia, prometeu tanto que as torcidas Palmeirenses e São Paulinas, resolverem prometer a morte! Mais um episódio ridículo dos marginais das torcidas organizadas. Quando vejo isso, me pergunto se esse tipo de jogo não merece ter uma torcida única, ou com portões fechados!

2) O jogo foi apático no primeiro tempo, com muita briga no meio campo, e com os dois times sofrendo para fazer boas jogadas. No segundo tempo o palmeiras voltou mais aguerrido e marcando a saída de bola São Paulina. Com a expulsão de Xandão, o São Paulo caiu. E caiu por 2 x 0 com direito a um show de oportunismo de Robert. Com a vitória logo em um clássico, Antonio Carlos ganha uma um pouco mais de confiança e promete mostrar a torcida palmeirense a que veio.

3) O pequeno AVC de Ricardo Gomes foi o ponto final de um clássico cheio de acontecimentos. Ricardo esta em um hospital em São Paulo e deverá ficar internado de 15 a 20 dias. Seu estado é estável, e o time do Morumbi deve ser comandado pelo auxiliar Milton Cruz.


O Clássico da Paciência

August 31, 2009

palmeirasxsp

No clássico paulista, o que vimos foi dois times que se respeitavam muito e que tinham modos de jogar completamente diferentes. O Palmeiras por um lado trancava o meio de campo do São Paulo, que teve um Hernanes apagado no primeiro tempo. Já o time do Morumbi, explorava o toque de bola, e tentava administrar o jogo e colocar um ritmo nele.

O São Paulo errou em pensar que o Palmeiras vinha defensivo, isto porque o Palmeiras nunca foi defensivo em seus jogos fora de casa, seja na vitória contra o Sport, no empate com o Atlético-MG, na derrota para o Coritiba, o Palmeiras forçou a marcação no campo de ataque nos primeiros vinte minutos.

Foi assim contra o São Paulo, uma forte marcação no campo de ataque, o time do Palestra Itália sofria com os contra-ataques, e com uma bola lançada para Washington, o São Paulo quase abriu o marcador. Mas o time se arrumou, e se compactou no segundo tempo.

O que se viu no Morumbi foi um jogo de paciência, e dois times que não estavam muito interessados em ganhar a partida. Pelo lado Palmeirense, a liderança continua assegurada, mesmo que o Internacional vença seu jogo a menos, o Palmeiras mantém a ponta da tabela. Para o São Paulo, o time sabia que uma derrota não era aceita, e seria importante manter a boa série para que a motivação continue crescendo.

O São Paulo, no entanto, melhorou na partida a partir dos 25 do primeiro tempo, com a boa atuação de Richarlyson e os deslocamentos de Dagoberto no ataque. Escalado como atacante para fazer dupla com Washington, Dagoberto rodava o campo, voltava à intermediária, incomodava os marcadores Pierre e Edmílson. Também por isso, Muricy trocou Ortigoza por Souza, no intervalo. Abriu mão do sistema com dois meias e dois volantes, usado só na primeira, das três campanhas de títulos brasileiros pelo São Paulo.

“Mudamos, porque o time ficou manjado”, diz, sobre o Tricolor de 2006.

É bom ter jogadores que fazem diferença num lance, como Diego Souza e Cleiton Xavier. Ontem, eles fracassaram. Diego foi vencido pelas marcação de Richarlyson, no primeiro tempo, por Renato Silva no segundo. Cleiton Xavier foi batido por Arouca, na segunda etapa – e pela lesão de tornozelo. Sem os maiores talentos sumidos – Hernanes está nessa lista – o jogo ficou completamente apagado.

Acredito que a grande diferença do São Paulo para o Palmeiras, é o plantel. O time do Morumbi ainda conta com uma boa cartela de jogadores para fazer o time chegar ao titulo brasileiro. O Palmeiras ainda não tem um plantel forte, principalmente quando vemos o Sarconi, jogando. Falta um pouco mais de time para o Palmeiras chegar ao titulo nacional, mas enquanto mantiver a seriedade e o objetivo claro, o Palmeiras é sério candidato ao titulo nacional.


6ª Vitória Seguida!

August 17, 2009

sãopaulo

Mesmo sofrida, a vitória veio a calhar. O São Paulo agora acumula 6 vitórias seguidas e já encosta nos líderes. Quando o time estava em 11º o discurso de Ricardo Gomes era simples e objetivo: “Não podemos falar em titulo quando estamos em 11º!”. Agora o discurso é diferente, o time pensa e com clareza na conquista do Campeonato Brasileiro.

Ricardo Gomes chegou sob um olhar de muita desconfiança, mas o que se viu ontem foi um time bastante aplicado taticamente. Ricardo mudou algo que Muricy não conseguia mudar justamente pelo tempo em que estava no time, o padrão de jogo! Na Era Muricy, o São Paulo sofria com cruzamentos na área e a esperança que Borges, Washington e Dagoberto acertassem o posicionamento. Agora o time tem toque de bola e a velha dupla Hernaner e Richarlyson voltaram a funcionar. Isso é o que acontece quando um time muda de treinador, jogares que estavam encostados vêem uma oportunidade de ganhar espaço e se esforçam mais, no São Paulo, Dagoberto e Richarlyson renascerão e com eles a esperança do Título.

O São Paulo sonha mais com o titulo porque o Palmeiras mostrou pela 3 vez seguida que esta suando a camisa mesmo para ganhar. Desde a chegada de Muricy ao Palestra Itália, o time ficou mais retrancado e esta com mia dificuldade de vencer seus jogos. O São Paulo já tem na cabeça a arrancada de 2008, quando o mesmo Muricy passou a confiança aos jogadores e estes se superaram. Os jogadores do São Paulo são praticamente os mesmos, o que aumenta as chances do time do Morumbi ao título, pois eles sabem do que são capazes.

Fora esta incrível arrancada São Paulina, ontem pudemos ver um Sport completamente perdido. O time sobre com a falta de um amador e com a má fase de Ciro. O time já trocou 4 vezes de treinador e ainda não se encontrou. Tem que tentar manter Péricles Chamusca, para que ele tente de alguma maneira revitalizar o time. Chamusca já percebeu algo que os outros treinadores não tinham percebido: parte dos problemas do Sport é psicológico, pois os jogadores estão descrentes quanto a diretoria, e ficaram abalados com a eliminação na Libertadores. Para isso, Chamusca chamou um psicólogo para fazer seções com a equipe, desta forma, acredita que recuperará seus jogadores, e assim, salvar o time do Nordeste.

E você, o que acha de São Paulo e Sport?


Em alta, Ricardo Gomes vê São Paulo com novo estilo após sua chegada

August 10, 2009

ap

Após um começo irregular, o técnico Ricardo Gomes finalmente conseguiu mudar o padrão de jogo do São Paulo. Pelo menos, é isso o que o treinador acredita. Com cinco vitórias consecutivas e um aproveitamento de 70% à frente da equipe, o comandante comemorou a arrancada tricolor no Campeonato Brasileiro e destacou que o time está bem diferente daquele comandado pelo antecessor Muricy Ramalho.

“O que vocês [da imprensa] viram é o padrão do time. Acho que mudamos a forma da equipe. Já é o quarto ou quinto jogo que estamos nesse caminho e melhorando. Talvez outro treinador faria outra coisa. Não dá para saber, mas o mais difícil será manter essa forma daqui pra frente”, comentou o técnico.

Contratado há quase dois meses, Ricardo Gomes completou 11 partidas no clube diante do Goiás. Neste meio tempo, ele levou a equipe da 16ª até a quarta posição do Brasileiro e recolocou o São Paulo entre os favoritos.

No início de sua trajetória no Morumbi, o treinador ainda passou dificuldades, com derrotas para Atlético-MG e Coritiba. Porém, conseguiu recuperar a campanha tricolor a agora soma cinco vitórias consecutivas. A última, contra o Goiás no domingo, deixou o atual hexacampeão brasileiro pela primeira vez no G-4.

“O padrão mudou, mas será complicado manter isso. Há muito desgaste. Os atletas precisam de muita movimentação para ter um toque de bola produtivo e eficiente, além de conseguir recuperar a bola quando a perde. Será que vamos manter isso até o fim? Essa é a questão que precisamos responder”, ponderou Gomes.

O elenco concorda com o treinador e também vê outro estilo desde a saída de Muricy Ramalho. O meia Jorge Wagner lembrou do padrão adotado pelo ex-são-paulino nas jogadas aéreas e destacou as implementações realizadas por Ricardo Gomes.

“Cada técnico tem sua filosofia e preferências. O Muricy quando estava aqui mandava explorarmos muito as bolas a aéreas e ganhamos três brasileiros assim. Já o Ricardo tenta passar mais confiança ao jogador e dar mais liberdade para atuar. A diferença já é nítida na equipe”, opinou o camisa 7.


A reação São Paulina

July 28, 2009

sp

A grande arma São Paulina nesta reação que vem se mostrando nas últimas três rodadas, é a repetição do esquema com três zagueiros e o aumento do número de desarmes.

Nas últimas três rodadas do Brasileiro, o São Paulo conquistou Sete pontos, e começa sua escalada rumo ao Tetra campeonato, pelo menos este é o pensamento dos jogadores e do técnico Ricardo Gomes.

Ao assumir o clube, na oitava rodada do certame, o treinador deixou clara sua preferência pelo 4-4-2. Porém, com os tropeços, testou o 3-5-2, formação que foi mantida nas últimas três partidas – vitórias por 2 a 1 sobre Santos e Grêmio Barueri e empate com o Internacional fora de casa, 2 a 2.

“Ele [Ricardo Gomes] lê bem o que acontece em campo. Aos poucos, estamos formando um time com a cara do Ricardo Gomes”, opinou o volante Jean, que atuou como ala nos três duelos mais recentes.

Segundo o Datafolha a equipe tricolor evoluiu na marcação. Antes da 12ª rodada, o São Paulo roubava 113 bolas por partida. Agora, essa média subiu para 117,3.

“O time teve técnica e velocidade contra o Barueri. Contra o Inter, nossa maior virtude foi a forte marcação. Vamos seguir nessa linha”, comentou Gomes, após a primeira vitória fora de casa, no último domingo.

“Quando existe uma mudança, tudo fica fora do lugar. O Ricardo é um cara inteligente, tranquilo, e soube administrar um momento conturbado com sabedoria. Ele sabia que tinha um time forte nas mãos”, destacou Hernanes.

Em 2008, o São Paulo foi campeão brasileiro com uma média de 124,5 desarmes por rodada. Neste ano, o Palmeiras é o líder no fundamento com 122,6.

O sistema defensivo do clube do Morumbi é o quinto melhor do campeonato – sofreu 17 gols. No ano passado, o time do ex-técnico Muricy Ramalho chegou à 14ª rodada com 15 gols contra.

“Na parte defensiva, o Ricardo cobra muito da gente. Tem que se desgastar”, finalizou Jean.

O Tricolor Paulista, segue sua caminhada pelo tetra campeonato, e o técnico Ricardo Gomes sabe da importância de lutar pelo titulo em seu primeiro ano pelo clube. O treinador chegou sob muita desconfiança no Morumbi, e aos poucos e com trabalho, vai melhorando o São Paulo e conquistando a torcida.