Seleção apresenta camisa ecologicamente correta para usar na Copa do Mundo

February 25, 2010

A roupa que vestirá o Brasil em sua 19ª Copa do Mundo foi apresentada nesta quinta-feira num evento em Londres. O uniforme 1 da seleção, com a clássica composição de camisa amarela e calções azuis, foi a principal atração de um lançamento coletivo de uma grande marca internacional, que contou com novidades de mais nove seleções.

O destaque da nova camisa da seleção, segundo a fornecedora de material esportivo que mantém acordo com a CBF, é seu caráter ecologicamente correto. A camisa é feita com poliéster reciclado de garrafas plásticas. Cada peça foi produzida a partir de oito garrafas retiradas do meio-ambiente.

Visualmente, ela é mais discreta do que suas versões anteriores, pelo menos nos detalhes em verde, que aparecem na gola e em tiras sobre ombros e braços.

Na apresentação em um evento numa fábrica desativada em Londres, o atacante Alexandre Pato atuou como modelo da camisa amarela da seleção. O jogador do Milan, no entanto, não vem sendo convocado e sua presença na Copa é incerta. Isso porque, Luís Fabiano, Adriano, Robinho e Nilmar vêm sendo os preferidos de Dunga para a posição e foram convocados para o último teste antes do Mundial.

Além do Brasil, as seleções de Holanda, Portugal, EUA, Austrália, Nova Zelândia, Eslovênia, Sérvia e Coreia do Sul tiveram novos modelos de uniformes apresentados no evento desta quinta em Londres. A Inglaterra, que é patrocinada pela Umbro, aproveitou a oportunidade e também lançou a camisa que o English Team irá usar no Mundial da África do Sul. A Umbro pertence à Nike desde 2007 e esta foi a primeira vez as duas marcas realizaram uma ação desse tipo em conjunto.

Há pouco mais de dez dias, uma ação de marketing no Carnaval de Rio de Janeiro e Salvador já havia apresentado a camisa 2 da seleção, a azul, em outro modelo desenvolvido para o Mundial da África do Sul.

A estreia oficial da nova camisa amarela da seleção deve acontecer na próxima terça-feira, também em Londres, na partida amistosa contra a Irlanda, no último compromisso da equipe antes do anúncio da lista para a Copa.

*O jornalista viajou a Londres a convite da Nike

Advertisements

Copa de 2010 pode ter mais sete classificados nesta quarta

September 9, 2009

copa_2010A quarta-feira promete ser de festa em vários pontos do mundo. Mais sete seleções podem garantir vaga na Copa do Mundo de 2010 e juntar-se às já classificadas África do Sul, Brasil, Gana, Holanda, Japão, Coréia do Sul, Coréia do Norte e Austrália.

Na América do Sul, Chile e Paraguai avançam se vencerem Brasil e Argentina, respectivamente. Se o fizerem, chegarão aos 30 pontos e poderão abrir até dez pontos do quinto colocado, faltando duas rodadas a serem disputadas.

Na Europa, Inglaterra e Sérvia dependem de triunfos simples sobre Croácia e França, respectivamente, para carimbarem o passaporte. As duas seleções jogarão em casa.

Espanha, Dinamarca e Eslováquia também podem obter a classificação, mas não dependem só de si. A Fúria tem de ganhar da Estônia e a Bósnia não passar pela Turquia. Os nórdicos precisam vencer a Albânia e torcer para que a Hungria perca de Portugal e a Suécia não passe de um empate com Malta. Para disputar seu primeiro mundial depois da separação da República Tcheca, os eslovacos têm de ganhar o confronto direto com a Irlanda do Norte e torcer para a Polônia não bater a Eslovênia.

Já a Escócia assegurará vaga na repescagem com um simples empate com a já classificada Holanda.

A rodada também definirá o adversário da Nova Zelândia na repescagem entre Ásia e Oceania. Depois do empate por 0 a 0 no confronto de ida, a Arábia Saudita recebe o Bahrein, em Riad.

Outro lado

A rodada também pode complicar de vez a situação de seleções tradicionais. Portugal estará virtualmente eliminado se perder da Hungria, fora de casa, e Dinamarca e Suécia vencerem.

Se perder do Paraguai, em Assunção, e Colômbia e Equador vencerem Uruguai e Bolívia, respectivamente, a Argentina terminará a antepenúltima rodada da América do Sul na sexta colocação, fora até mesmo da repescagem.

Restaria à equipe de Maradona a obrigação de vencer seus dois últimos confrontos, com Peru, em casa, e Uruguai, fora, e torcer por tropeços colombianos ou equatorianos.

Já o Uruguai, bicampeão mundial, pode ficar em situação difícil se cair diante da Colômbia no estádio Centenário. O máximo que poderia alcançar seria a repescagem, mas tendo de vencer os dois jogos restantes e dependendo de derrotas dos concorrentes.